Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

O exemplo de Perpétua e Felicidade

Gregorio Vivanco Lopes 

 

A todo momento lê-se na imprensa, vê-se na televisão, ouve-se no rádio que é preciso tomar medidas contra a desigualdade, que esta aumenta, que o governo não consegue controlá-la etc. etc.

Mas nunca se faz a distinção – absolutamente indispensável – entre a desigualdade exagerada e abusiva, portanto condenável, e a desigualdade boa e legítima, que está de acordo com a ordem natural das coisas. De modo que a impressão subliminar que o noticiário transmite é de que toda desigualdade, seja qual for, é sempre um mal e deve ser erradicada.

Segundo essa concepção, o ideal — não explicitado, mas latente — seria alcançado numa sociedade onde houvesse a igualdade absoluta, de todos os modos e em todas as formas. É a utopia revolucionária em sua formulação crua e nua.

Tal teoria acaba arrombando as portas das mentes das pessoas, que não se dão ao trabalho de refletir e analisar aquilo que vem subentendido no noticiário, instalando-se assim no universo de conhecimentos de cada indivíduo como uma espécie de verdade evidente, que não é preciso demonstrar.

* * *

Ora, nada de mais falso. As desigualdades exageradas e abusivas são más, não por serem desigualdades, mas por serem exageradas e abusivas. As desigualdades justas e harmônicas são um bem. Não seria difícil provar essa tese, mas seria longo e não caberia nesta seção. Baste-nos lembrar o ensinamento de Plinio Corrêa de Oliveira:

“Em um universo no qual Deus criou desiguais todos os seres, inclusive e principalmente os homens, a injustiça é a imposição de uma ordem de coisas contrária a que Deus, por altíssimas razões, fez desigual. Assim, a justiça está na desigualdade. [...] Com efeito, Deus criou as desigualdades, não aterradoras e monstruosas, mas proporcionadas à natureza, ao bem-estar e ao progresso de cada ser, e adequadas à ordenação geral do universo. E tal é a desigualdade cristã” (A justiça está na desigualdade cristã, “Jornal da Tarde”, 9-6-1979).

Para o espírito malfazejo da Revolução, toda desigualdade deve gerar um ódio e uma luta de quem é menos contra quem é mais. Pelo contrário, onde entrou o espírito autenticamente cristão, a desigualdade gera respectivamente o serviço e a proteção, ligados pelo laço do amor a Deus.

Foi o que se deu, por exemplo, com as santas Perpétua e Felicidade (século III). Perpétua era uma nobre romana muito rica, que se converteu ao cristianismo. Felicidade era sua escrava, que igualmente se converteu. Por isso foram conduzidas à prisão e condenadas à morte. Amarradas com arame e colocadas na arena diante de uma vaca brava, esta a princípio as atacou, mas depois desistiu.

O povo sanguinário que a tudo assistia pediu então que lhes cortassem as cabeças. A senhora e a escrava abraçaram-se emocionadas. Felicidade teve sua cabeça cortada por um golpe de machado. O verdugo, muito nervoso, errou o golpe em Perpétua. Ela deu um grito de dor, mas em seguida posicionou melhor a cabeça e indicou ao verdugo onde deveria atingi-la.

De tal modo elas foram unidas na fé, que a senhora e a escrava morreram juntas, sendo por isso seu martírio celebrado pela Igreja no mesmo dia 7 de março.

Sem querer de nenhum modo justificar aqui a escravidão romana, que tinha aspectos altamente censuráveis, a lição que nos dão Perpétua e Felicidade é de como a fé cristã e o amor de Deus unem de modo perfeitíssimo pessoas colocadas nos extremos opostos da escala social. Perpétua não desprezou Felicidade, nem esta se revoltou contra a sua senhora. Permanecendo cada uma na sua condição social, o amor de Cristo as uniu na Terra e na Eternidade.

Como é injusta e antinatural a pregação de uma igualdade a qualquer preço!

(*) Gregorio Vivanco Lopes é advogado e colaborador da ABIM


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 10239016)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?86.10
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns30.98
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação16.18
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo15.12
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?14.43
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.40
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino13.19
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?12.38
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.84
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes11.36
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.39
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria9.42
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes8.83
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?8.81
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra8.34
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade8.29
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?8.21
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.79
Diversos  Apologética  3960 Deus não divide sua glória com ninguém?7.69
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.44
Diversos  Santos e Místicos  3587 Poesia de Santa Teresinha7.25
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.86
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo6.82
Diversos  Mundo Atual  3795 O que há de vir?6.66
A fé é uma postura da inteligência, que pode estar desligada de sentimentos prazerosos ou deleites espirituais.
Dom Estêvão Bettencourt

Católicos Online