PERGUNTE E RESPONDEREMOS 505 – julho 2004

Sucessão Apostólica

 

A LISTA DOS PAPAS

 

Vários amigos têm solicitado a PR que publique a lista dos Papas. O pedido é considerado nas páginas seguintes.

 

OS PAPAS

Fonte: Annuario Pontifício, Città del Vaticano.

 

São Pedro, de Betsaida, na Galileia, Príncipe dos Apóstolos, residiu primeiro em Antioquia, depois em Roma (a partir do ano 42), onde sofreu o martírio em 67.

São Lino, da Tuscia, 67-76 ([1])

São Cleto ou Anacleto, romano, 76-88

São Clemente, romano, 88-97

Santo Evaristo, grego, 97-105

Santo Alexandre I, romano, 105-115

São Sixto I, romano, 115-125

São Telésforo, grego, 125-136

Santo Higino, grego, 136-140

São Pio I, de Aquiléia, 140-155

Santo Aniceto, sírio, 155-166

São Sotero, da Campanha, 166-175

Santo Eleutério, grego, 175-189

São Vítor I, africano, 189-199

São Zeferino, romano, 199-217

São Calixto I, romano, 217-222

[Santo Hipólito, romano, 217-235] ([2])

São Urbano I, romano, 222-230

São Ponciano, romano, 230-235

Santo Antero, grego, 235-236

São Fabiano, romano, 236-250

São Cornélio, romano, 251-253

[Novaciano, 251]

São Lúcio I, romano, 253-254

Santo Estêvão I, romano, 254-257

São Sixto II, grego, 257-258

São Dionísio, de nacionalidade desconhecida, 259-268

São Félix I, romano, 269-274

Santo Eutiquiano, de Luni, 275-283

São Caio, da Dalmácia, 283-296

São Marcelino, romano, 296-304

São Marcelo I, romano, 308-309

Santo Eusébio, grego, 309-309

São Melquíades, africano, 311-314

São Silvestre I, romano, 314-335

São Marcos, romano, 336-336

São Júlio I, romano, 337-352

Libério, romano, 352-366

[Félix II, 355-365]

São Dâmaso I, espanhol, 366-384

[Ursino, 366-367]

São Sirício, romano, 384-399

Santo Anastácio I, romano, 399-401

Santo Inocêncio I, de Albano, 401-417

São Zózimo, grego, 417-418

São Bonifácio I, romano, 418-422

[Eulálio, 418-419]

São Celestino I, da Campanha, 422-432

São Sixto III, romano, 432-440

São Leão I (Magno), da Tuscia, 440-461

Santo Hilário, da Sardenha, 461-468

São Simplício, de Tivoli, 468-483

São Félix III (II), romano, 483-492

São Gelásio I, africano, 492-496

Anastácio II, romano, 496-498

São Símaco, da Sardenha, 498-514

[Lourenço, 498. 501-505]

São Hormisdas, de Frosinone, 514-523

São João I, da Tuscia, mártir, 523-526

São Félix IV (III), de Sannio, 526-530

Bonifácio II, romano, 530-532

[Dióscoro, 530-530]

João II, romano, 533-535

Santo Agapito I, romano, 535-536

São Silvério, da Campanha, mártir, 536-537

Vigílio, romano, 537-555

Pelágio I, romano, 556-561

João III, romano, 561-574

Bento I, romano, 575-579

Pelágio II, romano, 579-590

São Gregório I (Magno), romano, 590-604

Sabiniano, da Tuscia, 604-606

Bonifácio III, romano, 607-607

São Bonifácio IV, do território dos Marsi, 608-615

São Deusdedit ou Adeodato I, romano, 615-618

Bonifácio V, de Nápoles, 619-625

Honório I, da Campanha, 625-638

Severino, romano, 640-640

João IV, da Dalmácia, 640-642

Teodoro I, grego, 642-649

São Martinho I, de Todi, mártir, 649-655

Santo Eugênio I, romano, 654-657

São Vitaliano, de Segni, 657-672

Adeodato II, romano, 672-676

Dono, romano, 676-678

Santo Agatão, siciliano, 678-681

São Leão II, siciliano, 682-683

São Bento II, romano, 684-685

João V, sírio, 685-686

Cónon, de nacionalidade desconhecida, 686-687

[Teodoro, 687]

[Pascoal, 687]

São Sérgio I, sírio, 687-701

João VI, grego, 701-705

João VII, grego, 705-707

Sisínio, sírio, 708-708

Constantino, sírio, 708-715

São Gregório II, romano, 715-735

São Gregório III, sírio, 731-741

São Zacarias, grego, 741-752

Estêvão II (III), romano, 752-757

São Paulo I, romano, 757-767

[Constantino, 767-769]

[Filipe, 768]

Estêvão III (IV), siciliano, 768-772

Adriano I, romano, 772-795

São Leão III, romano, 795-816

Estêvão IV (V), romano, 816-817

São Pascoal I, romano, 817-824

Eugênio II, romano, 824-827

Valentino, romano, 827-827

Gregório IV, romano, 827-844

[João, 844]

Sérgio II, romano, 844-847

São Leão IV, romano, 847-855

Bento III, romano, 855-858

[Anastácio, 855-855]

São Nicolau I (Magno), romano, 858-867

Adriano II, romano, 867-872

João VIII, romano, 872-882

Marinho I, de Gallesc, 882-884

Santo Adriano III, romano, 884-885

Estêvão V (VI), romano, 885-891

Formoso, italiano, 891-896

Bonifácio VI, romano, 896-896

Estêvão VI (VII), romano, 896-897

Romano, de Galles, 897-897

Teodoro II, romano, 897-897

João IX, de Tivoli, 898-900

Bento IV, romano, 900-903

Leão V, de Ardea, 903-903

[Cristóvão, 903-904]

Sérgio III, romano, 904-911

Anastácio III, romano, 911-913

Lândon, de Sabina, 913-914

João X, de Tossignano (ímola), 914-928

Leão VII, romano, 928-928

Estêvão VII (VIII), romano, 928-931

João XI, romano, 931-935

Leão VII, romano, 936-939

Estêvão VIII (IX), romano, 939-942

Marinho II, romano, 942-946

Agapito II, romano, 946-955

João XII, romano, 955-964

Leão VIII, romano, 963-965

Bento V, romano, 964-966

João XIII, romano, 965-972

Bento VI, romano, 973-974

[Bonifácio VII, 974; 984-985]

Bento VII, romano, 974-983

João XIV, de Pavia, 983-984

João XV, romano, 985-996

Gregório V, da Saxônia, 996-999

[João XVI, 997-998]

Silvestre II, da Alvernia, 999-1003

João XVII, romano, 1003-1003

João XVIII, romano, 1004-1009

Sérgio IV, romano, 1009-1012

Bento VIII, romano, 1012-1024

[Gregório, 1012]

João XIX, romano, 1024-1032

Bento IX, romano, 1032-1044

Silvestre III, romano, 1045-1045

Bento IX (pela segunda vez), 1045-1045

Gregório Vi, romano, 1045-1046

Clemente li, da Saxônia, 1046-1047

Bento IX (pela terceira vez) 1047-1048

Dâmaso II, da Baviera, 1048-1048

São Leão IX, da Alsácia, 1049-1054

Vítor II, alemão, 1055-1057

Estêvão IX (X), de Lorena, 1057-1058

[Bento X, 1058-1059]

Nicolau II, da Borgonha, 1059-1061

Alexandre II, de Milão, 1061-1073

[Honório II, 1061-1072]

São Gregório Vil, da Tuscia, 1073-1085

[Clemente III, 1080 e 1084-1100]

Beato Vítor III, de Benevento, 1086-1087

Beato Urbano II, francês, 1088-1099

Pascoal II, de Bieda (Ravennate), 1099-1118

[Teodorico, 1100]

[Alberto, 1102]

[Silvestre IV, 1105-1111]

Gelásio II, da Gaeta, 1118-1119

[Gregório VIII, 1118-1121]

Calixto II, da Borgonha, 1119-1124

Honório II, de Fiagnano (ímola), 1124-1130

[Celestino II, 1124]

Inocêncio II, romano, 1130-1143

[Anacleto II, 1130-1138]

[Vítor IV, 1138-1138]

Celestino II, de Città di Castello, 1143-1144

Lúcio II, de Bolonha, 1144-1145

Beato Eugênio III, de Pisa, 1145-1153

Anastácio IV, romano, 1153-1154

Adriano IV, inglês, 1154-1159

Alexandre III, de Sena, 1159-1181

[Vítor IV, 1159-1164]

[Pascoal III, 1164-1168]

[Calixto III, 1168-1178]

[Inocêncio III, 1179-1180]

Lúcio III, de Lucca, 1181-1185

Urbano III, de Milão, 1185-1187

Gregório VIII, de Benevento, 1187-1187

Clemente III, romano, 1187-1191

Celestino III, romano, 1191-1198

Inocêncio III, de Gavignano (Roma), 1198-1216

Honório III, romano, 1216-1227

Gregório IX, de Anagni, 1227-1241

Celestino IV, de Milão, 1241-1241

Inocêncio IV, de Gênova, 1243-1254

Alexandre IV, de Icane (Roma), 1254-1261

Urbano IV, de Troyas, 1261-1264

Clemente IV, francês, 1265-1268

Beato Gregório X, de Piacenza, 1272-1276

Beato Inocêncio V, de Savóia, 1276-1276

Adriano V, de Génova, 1276-1276

João XX, português, 1276-1277

Nicolau III, romano, 1277-1280

Martinho IV, francês, 1281-1285

Honório IV, romano, 1285-1287

Nicolau IV, de Áscoli, 1288-1292

São Celestino V, Isérnia, 1294-1294

Bonifácio VIII, de Anagni, 1294-1303

Beato Bento XI, de Treviso, 1303-1304

Clemente V, francês, 1305-1314

João XXII, de Cahors, 1316-1334

[Nicolau V, 1328-1330]

Bento XII, francês, 1334-1342

Clemente VI, francês, 1342-1352

Inocêncio VI, francês, 1352-1362

Beato Urbano V, francês, 1362-1370

Gregório XI, francês, 1370-1378

Urbano VI, de Nápoles, 1378-1389

Bonifácio IX, de Nápoles, 1389-1404

Inocêncio VII, de Sulmona, 1404-1406

Gregório XII, de Veneza, 1406-1415

[Clemente VII, 1378-1394]

[Bento XIII, 1394-1423]

[Alexandre V, 1409-1410]

[João XXIII, 1410-1415]

Martinho V, romano, 1417-1431

Eugênio IV, de Veneza, 1431-1447

[Félix V, 1439-1449]

Nicolau V, de Sarzana, 1447-1455

Calixto III, de Játiva (Valencia), 1455-1458

Pio II, de Sena, 1458-1464

Paulo II, de Veneza, 1464-1471

Sixto IV, de Savona, 1471-1484

Inocêncio VIII, de Génova, 1484-1492

Alexandre VI, de Játiva (Valencia), 1492-1503

Pio III, de Sena, 1503-1503

Júlio II, de Savona, 1503-1513

Leão X, de Florença, 1513-1521

Adriano VI, de Utrecht (Holanda), 1522-1523

Clemente VII, de Florença, 1523-534

Paulo III, romano, 1534-1549

Júlio III, romano, 1550-1555

Marcelo II, de Montepulciano, 1555-1555

Paulo IV, de Nápoles, 1555-1559

Pio IV, de Milão, 1559-1565

São Pio V, de Bosco (Alessandria), 1566-1572

Gregório XIII, de Bolonha, 1572-1585

Sixto V, de Grottammare (Ripatransone), 1585-1590

Urbano VII, romano, 1590-1590

Gregório XIV, de Cremona, 1590-1591

Inocêncio IX, de Bolonha, 1591-1591

Clemente VIII, de Florença, 1592-1605

Leão XI, de Florença, 1605-1605

Paulo V, romano, 1605-1621

Gregório XV, de Bolonha, 1621-1623

Urbano VIII, de Florença, 1623-1644

Inocêncio X, romano, 1644-1655

Alexandre VII, de Sena, 1655-1667

Clemente IX, de Pistóia, 1667-1669

Clemente X, romano, 1670-1676

Beato Inocêncio XI, de Como, 1676-1689

Alexandre VIII, de Veneza, 1689-1691

Inocêncio XII, de Spinazzola (Venosa), 1691-1700

Clemente XI, de Urbino, 1700-1721

Inocêncio XIII, romano, 1721-1724

Bento XIII, de Gravina, 1724-1730

Clemente XII, de Florença, 1730-1740

Bento XIV, de Bolonha, 1740-1758

Clemente XIII, de Veneza, 1758-1769

Clemente XIV, de S. Arcângelo (Rimini), 1769-1774

Pio VI, de Cesena, 1775-1799

Pio VII, de Cesena, 1800-1823

Leão XII, de Genga (Fabriano), 1823-1829

Pio VIII, de Cíngoli, 1829-1830

Gregório XVI, de Belluno, 1831-1846

Beato Pio IX, de Senigallia, 1846-1878

Leão XIII, de Carpineto (Anagni), 1878-1903

São Pio X, de Riese (Treviso), 1903-1914

Bento XV, de Gênova, 1914-1922

Pio XI, de Désio (Milão), 1922-1939

Pio XII, romano, 1939-1958

Beato João XXIII, de Sotto il Monte (Bérgamo), 1958-1963

Paulo VI, de Concesio (Brescia), 1963-1978

João Paulo I, Forno di Canale (Belluno), 1978-1978

João Paulo II, de Wadowice (Cracóvia), 1978-

Pastor Universal da Igreja Católica

 

ESCLARECENDO...

 

Nem todas as listas dos Papas coincidem entre si: ora um nome a mais, ora um nome a menos. A que vai apresentada neste fascículo, é extraída de um documentário oficial da Santa Sé. O Pe. Arlindo Rubert, em sua obra "Estudos sobre os Papas", pp. 9-11, esclarece os casos de divergência entre as listas. Eis como procede:

 

Existem diversos catálogos dos Papas, antigos e modernos, que mostram alguma divergência entre si. Explica-se o fato pelos seguintes motivos:

 

1.  Houve desdobramento de pessoa, como é o caso do 3a sucessor de S. Pedro, que ora é dito Anacleto, ora Cleto, induzindo os cronistas a acreditar em duas pessoas distintas, quando, na realidade, é uma só e mesma pessoa.

2.  Na série dos Medalhões dos Papas, na Basílica de S. Paulo em Roma, no ano 972 é colocado um Dono II, que é um Papa inexistente, nascido da confusão.

3.  No ano de 753 foi eleito Papa o presbítero Estêvão, que na série dos Papas seria Estêvão II. Ora, como ele viesse a falecer três dias após a eleição, foi omitido nos catálogos dos Papas pelo fato de não ter sido ainda sagrado e entronizado, visto que, no Direito Canônico então vigente, só poderia ser reconhecido como Papa do dia da sagração em diante. Hoje é pacífico que o Papa logo após a eleição e aceitação, tem toda a jurisdição do cargo. Não é, por isso, ilegítimo colocar Estêvão II entre os Papas.

4.  Outro fator é o caso de Leão VIII, imposto no ano de 963 pelo imperador Otão I ainda em vida do Papa legítimo João XII, cuja deposição foi anticanônica e inválida. Trata-se, portanto, de um antipapa. Mesmo assim aparece também recentemente na série dos Papas legítimos.

5.  Após a morte de João XII a 14 de maio de 964, o clero e o povo romanos elegeram Papa o presbítero gramático Bento V a 22 de maio seguinte. Otão I cometeu violência, pretendeu depô-lo e levá-lo como prisioneiro para a Alemanha, onde veio a falecer a 4 de julho de 966 com fama de santo. Seu corpo foi mais tarde levado para Roma. Não foi antipapa como julgam alguns autores, mas Papa legítimo.

6.  Há autores que contam, cada vez, a tríplice ocupação de Bento IX; eleito em 1032, voltou em 1045 e 1047. Tratando-se da mesma pessoa, não parece lógico desdobrá-la em três.

7.  Na série dos Papas encontra-se, às vezes, Silvestre III, imposto em 1045 pela prepotência imperial ainda em vida do Pontífice legítimo Bento IX, que, embora indigno, não perdera suas prerrogativas. Silvestre III não pode, a nosso ver, ser considerado Pontífice legítimo, mas sim antipapa.

8.  Embora apareçam, em todos os catálogos, como Papas legítimos, os alemães Clemente II (1046) e Dâmaso II (1048), sabe-se que foram impostos pelo imperador Henrique III; parecem ser, no mínimo, duvidosos.

9.  Por ocasião do grande cisma do Ocidente, foram eleitos Papas Alexandre V em 1409, e João XXIII em 1410 quando ainda vivia o Papa legítimo Gregório XII, o qual só veio a renunciar canonicamente a 18 de outubro de 1417. Portanto, os dois eleitos invalidamente e tidos por longo tempo como Papas legítimos não passam de antipapas...

Muitas datas dos dois primeiros séculos, as mais das vezes, são aproximadas por terem sido convencionalmente introduzidas. Daí por diante são exatas, restando alguma dúvida para alguns Papas do 1e milênio.

 

 

Dom Estêvão Bettencourt (OSB)



[1]) Entre colchetes estão os nomes dos antipapas.

[2]) Exilado na Sardenha, aí morreu reconciliado com a Igreja.


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
3 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 
-

:-)