PRáTICA CRISTã (1107)'
     ||  Início  ->  
Artigo

LUTAR CONTRA A MISÉRIA

 

Na véspera da Jornada Mundial da Rejeição à Miséria, o Papa Bento XVI lançou um apelo a “escutar o grito dos pobres” e a intensificar as ações contra este flagelo global. Esta jornada foi criada por iniciativa do padre Joseph Wresinski, em 17 de outubro de 1987, quando colocou no átrio do Trocadero, em Paris, uma lápide “pelas vítimas da miséria”. A iniciativa foi assumida pelas Nações Unidas em 1992. Falando em francês, ao concluir a oração do Ângelus, o pontífice reconheceu que “a miséria é um flagelo contra o qual a humanidade tem de lutar sem cessar”. “Somos chamados a uma solidariedade cada vez maior para que ninguém fique excluído da sociedade”.

 

Por último, o Santo Padre conclamou “as autoridades civis e os líderes a escutar o grito dos pobres e a intensificar suas ações na luta contra a miséria”.

 

Temos que lutar com todas as forças para acabar com a miséria. Que os detentores do capital, tenham consciência de humanidade a dá ultimato a essa vergonha universal.

 

Na coleção de ensaios intitulada “em busca de um mundo melhor” (1994), o filósofo austríaco Karl Popper, criador do chamado racionalismo crítico, faz uma pergunta: em que crê o Ocidente? “Do ponto de vista histórico, no cristianismo. Ao lado do racionalismo grego, nada influenciou tanto a história das idéias no Ocidente quanto o cristianismo”.

 

Afirma Popper: “A luta contra a pobreza não deve ser deixada ao acaso. Mesmo críticos do socialismo, não devemos esquecer que se origina de uma admirável convicção moral, o que nos obriga a indicar melhores formas de realizar essas idéias”.

 

A luta contra a fome e a miséria, é de maior responsabilidade para o cristianismo, por ser a maior religião do mundo e por pregar a paz, a justiça, o amor e a vida com abundância. Se os líderes religiosos cristãos deixassem o “status de príncipe” e as mordomias capitalistas, poderiam sanar essa ofensa contra Deus e a humanidade.

 

Santo Agostinho de Hipona afirmava: “É bom desejar a paz, mas, se não se realiza a justiça, esse desejo converte-se em mentira”. Se o cristianismo não mostrar solidariedade e boas obras para erradicar a fome e a miséria, a sua pregação torna-se uma grande farsa.

 

A maior atitude de misericórdia do cristianismo é pelo dom da vida, e essa vida com plenitude. A inquietação constante do cristianismo é pela dignidade holística do ser humano.

 

O Patriarca de Constantinopla, ínclito orador, São João Crisóstomo dizia: “nada te pode fazer tão imitador de Jesus Cristo como a preocupação pelos outros”. Seremos cristãos quando formos conhecidos pelo amor ao próximo (João 15,12-1,14). Quando realizarmos boas obras (Tiago 2,14-26). Quando estivermos prontos para o martírio (João 16,1-3).

 

A mais alta esfera do cristão é sofrer o martírio, por gritar contra a fome, a miséria e toda forma de injustiças.

Santo Ambrósio de Milão declarava: “Sem perseguidores não há mártires”. Sempre haverá mártires, por denunciar os poderosos que manipulam e ganham com a fome e a miséria alheia. Mas, ninguém pode calar a voz dos mártires. A justiça branda no sangue dos mártires.

 

Em 1980, o Papa João Paulo II vem pela primeira vez ao Brasil. Visita detentos em Brasília, operários em São Paulo, favelados no Rio de Janeiro, hansenianos em Belém do Pará. No mesmo ano vai à África também pela primeira vez.

 

O “Papa Peregrino” como ficou conhecido, tinha consciência da miséria mundial. Afirmou: “Não digam que é vontade de Deus que vocês fiquem numa situação de pobreza, doença, má habitação. Isso contraria sua dignidade de pessoas humanas. Não digam é Deus quem quer”.

 

As desgraças no mundo são culpas das pessoas egoístas, e não de Deus.

 

Disse Jesus: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” (João 10,10).

 

É muito atual o pensamento – o grito – de Santo Irineu de Lião (Século II), em dizer: “A glória de Deus é o homem que vive em plenitude”.

 

Pe. Inácio José do Vale

Escritor e Conferencista

Professor de História da Igreja

Instituto Teológico Bento XVI

EFOR-Escola de Formação de Resende

E-mail: pe.inaciojose.osbm@hotmail.com

 


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
4 2
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)