PROTESTANTISMO (1378)'
     ||  Início  ->  
Artigo

A Unidade Protestante

 

O protestantismo se arroga e se outorga como seguidor legítimo da Palavra de Deus. Carregando uma Bíblia debaixo do braço, e a riscando com caneta e escrevendo em suas paralelas seus achares e conclusões, o protestantismo tem em comum entre si, para além desta caricatura, ou cacoete intelectual e espiritual, o fato de todo protestantismo pregado e vivido até hoje, não tinha Jesus Cristo como Senhor e Salvador, mas sim, falsos deuses, pequenos demiurgos fazedores de doutrinas auto-analíticas que prometiam a si mesmos uma salvação que na verdade nunca veio e nunca virá.

 

Não sou contra nenhum protestante em particular, mas sim contra todo protestantismo que agride e persegue a Cristo e sua Igreja, tentando, em nome de si mesmo, ser o único caminho que de fato é o próprio Cristo. O protestantismo que já iniciando por Lutero, que nega a autoridade da Igreja e mutila o Cânon Bíblico, arrancando-lhe os sete livros que os primeiros cristãos tinham como textos inspirados, não apenas rompe com a Igreja primitiva, mas rompe com a única Igreja, que na verdade deixou de ser primitiva e hoje é denominada católica, pois não é herege. Entenda-se por herege aquele que escolhe uma parte da revelação deixando sua aparente contradição e a elege como única verdade.

 

No modelo protestante de Lutero isso fica bem claro, quando Lutero elege a sua fé pela metade que afirma que a justificação vem pela fé (Gl 2,16 ou Rm 5,1), como “a verdade”, mas despreza a Carta de Tiago que afirma que a “fé sem obras é morta” (Tg 2,17). E assim, eliminando uma parte da revelação em detrimento de outra verdade da mesma revelação, apenas por não ser Lutero capaz de conviver com ambas em sua cabeça, exclui a revelação Divina e elege sua própria inteligência como seu único senhor, deus e salvador.

 

Eis aí, a unidade protestante. E por isso mesmo, todo protestante que acredita piamente que sua inteligência o salvará, e é capaz de chamar seu próprio intelecto de “espírito santo”. Pois como é possível que o mesmo “espírito santo”, revele coisas tão contraditórias aos indivíduos?

 

Uns acreditam que Jesus deixou sacramentos, outros acreditam que Jesus não deixou nenhum sacramento. Uns levam em conta os fatos históricos, como a morte de São Pedro e São Paulo em Roma e outros afirmam categoricamente que São Pedro nunca esteve em Roma. Uns afirmam o celibato e outros negam o celibato. Uns afirmam ser Cristo o Deus verdadeiro e outros afirmam ser apenas o primeiro a ser criado.

 

A unidade protestante se encontra na adoração e veneração de suas próprias mentes. É muito comum, em um debate entre protestantes, apelarem para as revelações particulares. De fato, se analisarmos friamente as milhões de doutrinas diferentes, você encontrará protestantes que frequentam inclusive os mesmos templos terem ideias totalmente distintas quanto a questões imprescindíveis da fé.

 

O protestante acredita que a Fé salva, negando a necessidade das obras, porém, se esquecem que Jesus é a ressurreição e a vida, é Ele própria a salvação. E esta é a grande diferença de um herege para um católico, o católico, convive com verdades aparentemente contraditórias, mesmo que sua mente não as explique, pois tem a Igreja que o ajuda e os santos doutores, os padres do deserto e a patrística que com uma teologia mística e maravilhosa, que a própria Igreja reconhece como sendo parte inclusive da Revelação, aceita a Fé completa, sem a necessidade de ser mutilada.

 

O protestantismo gera uma adoração de nós mesmos, depois de anos no protestantismo, não consigo hoje ver com bons olhos uma doutrina que gera divisão ser ainda vista como algo vindo de Deus, que é UNO e só pode gerar por isso UNIDADE.

 

Nithapele Muluku
Fonte: blog O Salmão


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
6 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 
#0•A2734•C352   2013-08-17 22:18:38 - Convidado/Dani Acioli
SILAS MALAFAIA INCOMODADO COM O PAPA FRANCISCO E COM A JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE

Reconheço que é direito de todo e homem e mulher aderirem a fé, crença ou credo que lhes parecerem mais favoráveis ou adequados. Não concordo com qualquer tentativa de cerceamento de liberdade religiosa. Não aceito também ofensas a honra e dignidade das pessoas. Minhas críticas ou respostas ao Sr.Silas Malafaia limitam-se aos apontamentos que ele fez nos últimos tempos contra a fé católica.
No último mês de julho de 2013, copiando seu antigo mentor Edir Macedo que fez duras críticas a Igreja Cat......

Ler mais...  -  Responder

:-)