SABEDORIA (712)'
     ||  Início  ->  
Artigo

VERDADEIRAMENTE LIVRE

 

J. Rowling, autora da série Harry Potter, diz que: “A pior coisa do mundo é o encarceramento”.

 

O Brasil tem a quarta maior população carcerária do mundo, segundo dados divulgados pelo Ministério da Justiça referentes ao primeiro semestre de 2014. Em números absolutos, o Brasil alcançou a marca de 607.700 presos, atrás apenas da Rússia (673.800), China (1,6 milhão) e Estados Unidos (2,2 milhões). Quando se compara o número de presos com o total da população, o Brasil também está em quarto lugar, atrás da Tailândia (3º), Rússia (2º) e Estados Unidos (1º). Segundo o ministério, se a taxa de prisões continuar no mesmo ritmo, um em cada 10 brasileiros estará atrás das grades em 2075. Caso seja mantido esse ritmo de encarceramento, a população prisional do Brasil ultrapassará a marca de um milhão de indivíduos, em 2022, segundo o MJ (1).

 

A população carcerária feminina subiu de 5.601 para 37.380 detentas entre 2000 e 2014, um crescimento de 567% em 15 anos. No total, as mulheres representam 6,4% da população carcerária do Brasil, que é de aproximadamente 607 mil detentos. A taxa de mulheres presas no país é superior ao crescimento geral da população carcerária, que teve aumento de 119% no mesmo período. Na comparação com outros países, o Brasil apresenta a quinta maior população carcerária feminina do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos (205.400 detentas), China (103.766) Rússia (53.304) e Tailândia (44.751) (2).

 

A MAIOR DE TODAS AS LIBERDADES

 

O relatório do departamento de Drogas e Crimes das Nações Unidas, emitido em 2008 dizia: “Em qualquer momento que determinemos, há mais de 10 milhões de pessoas encarceradas ao redor do mundo”. Como alguns detentos são liberados, enquanto novos presos são condenados diariamente, há mais de 30 milhões de prisioneiros ao redor do mundo, em cada ano. Estatísticas como estas motivaram muitas pessoas a trabalhar em favor da reforma prisional e provocaram o reexame das sentenças já expedidas.

 

Da perspectiva espiritual, a Bíblia oferece uma estatística ainda mais surpreendente: as Escrituras declaram que o mundo inteiro é prisioneiro do pecado (Gl 3,22): “Mas a Escritura pôs todos e tudo sob o jugo do pecado, a fim de que, pela fé em Jesus Cristo, se cumprisse a promessa em favor dos que crêem.” (v.22).

 

Quando entregamos a nossa vida ao Senhor Jesus Cristo, que satisfez todas as exigências da lei, nós não estamos mais aprisionados ao pecado. Em vez disso, entramos em comunhão com pessoas de todas as nacionalidades e posições sociais. Em Cristo somos verdadeiramente livres! (Jo 8,36; 2 Cor 5,17). Diz de forma magistral o escritor americano David C. Mc Casland: “A libertação do pecado é a maior de todas as liberdades” (3).

 

A nossa gloriosa liberdade está configurada na graça, na fé e no amor do bom Deus.

 

Pe. Inácio José do Vale

Professor, escritor e conferencista

Sociólogo em Ciência da Religião

Religioso dos Irmãozinhos da Visitação de Charles de Foucauld

E-mail: pe.inacio.jose@gmail.com

Notas:

(1)http://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2015/06/populacao-carceraria-brasileira-chega-600-mil-aponta-ministerio-da-justica-240.html

(2)http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/80853-populacao-carceraria-feminina-aumentou-567-em-15-anos-no-brasil

(3) Pão Diário, 25/05/2016.


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
3 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)