DIáLOGOS (3504)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Diálogo entre Cristãos – Católico não é Cristão?

Claudio Maria, após visitar o site GotQuestions e ser surpreendido com perguntas do tipo:

Sou católico. Por que devo considerar tornar-me um cristão?

Escreveu aos responsáveis pelo site:

Perguntas desse tipo são profundamente ofensivas aos católicos que são cristãos há mais tempo que os irmãos separados e que, agindo assim, só dividem o corpo de Cristo.
A parte que vocês se referem como "perguntas de católicos" e que vocês alegam serem as respostas reflexo do que o catolicismo ensina, é repleta de MENTIRAS.
Vocês não podem se basear no que dizem os que abandonaram uma igreja sem a conhecer direito para afirmar o que essa igreja ensina. Isto é maledicência proposital e DEUS SABE DISSO. Se vocês se julgam cristãos, deveriam começar a se preocupar com o que estão fazendo ao seguir as idéias de Lutero e dos reformadores (e NÃO a Bíblia como alegam).

Como ensina Paulo:
(10) Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento.
(11) Pois acerca de vós, irmãos meus, fui informado pelos que são da casa de Cloé, que há contendas entre vós.
(12) Refiro-me ao fato de que entre vós se usa esta linguagem: Eu sou discípulo de Paulo, eu, de Apolo, eu, de Cefas, eu, de Cristo.
(13) Então estaria Cristo dividido? É Paulo quem foi crucificado por vós? É em nome de Paulo que fostes batizados?

O protestantismo é como um câncer no corpo de Cristo e a atitude de vocês é mais uma prova disso.

=-=-=

GotQuestions:

 

Obrigado por nos escrever de volta.

 

Primeiramente, não estamos aqui para agradar a ninguém, apenas ao Senhor Jesus Cristo.

Também não estamos aqui com o propósito de ofender alguém. Mas se enquanto tivermos pregando a Verdade da Palavra de Deus alguém se ofender com a mensagem, estão apenas mostrando o quão pouco conhecem a Deus e as Escrituras.

 

Fazemos todo o possível para, em oração, pesquisarmos as perguntas de forma completa, e respondê-las de forma baseada na Bíblia. Não é nosso propósito fazer com que você concorde conosco, mas sim mostrar a você o que a Bíblia diz.

 

Você erra muito quando fala sobre nós, pois você não nos conhece.

 

Todos os nossos artigos sobre os tópicos do Catolicismo foram escritos por ex-católicos que deixaram a Igreja Católica depois de compararem o que ensina a Igreja Católica com as práticas da Bíblia. Os artigos são fruto de muita pesquisa. Nós fortemente acreditamos que eles representam com exatidão as doutrinas da Igreja Católica. Você poderá discordar com nossas conclusões, mas são o resultado de anos sendo católico, sendo instruído na doutrina católica, praticando Catolicismo, estudando a teologia católica e trocando idéias com católicos. Não estamos açoitando a Igreja Católica, e não odiamos os católicos. Nós simplesmente cremos que há alguns problemas doutrinais bastante sérios com a Igreja Católica, problemas com os quais precisamos biblicamente lidar.

Você também erra quando escreve sobre o apóstolo Paulo. O texto que você mencionou não tem nada a ver com esse assunto entre crentes e católicos, mas antes de crentes brigando com outros crentes.

 

O próprio apóstolo Paulo escreveu em 2 Timóteo 4.1-3,

Na presença de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos por sua manifestação e por seu Reino, eu o exorto solenemente:

Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina.

Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos.

Continue lendo e estudando a Bíblia, para aprender melhor sobre Deus e o que Ele espera de cada um de nós. E não si deixe ser enganado por qualquer religião falsa.

Tenha um ótimo fim de semana,

a equipe do GotQuestions

=-=-=

Claudio Maria:


Olá,

Lamento que vocês tenham uma visão tão limitada e egocêntrica do cristianismo.
Pensam que pela bíblia podem concluir tudo, sem levar em conta que a bíblia, palavra escrita, é apenas PARTE da história do cristianismo e da revelação a qual não pode se separar da história da Igreja Católica, responsável por definir e autenticar a própria bíblia que você lê, mas distorce para satisfazer os caprichos de Lutero e dos reformadores.

A falta de discernimento nos seus argumentos se revela claramente num simples trecho que escreveram:

"Você também erra quando escreve sobre o apóstolo Paulo. O texto que você mencionou não tem nada a ver com esse assunto entre crentes e católicos, mas antes de crentes brigando com outros crentes."

Então católicos não são crentes, não crêem também em Jesus e nas escrituras??

Essa é uma afirmação sem sentido, arrogante, ignorante e cheia de preconceitos que faz ver como não adianta dialogar com pessoas que pensam assim. Racionalmente, é perda de tempo. Só Deus pra resolver tamanho preconceito.

Entrementes ... tentem explicar as aparições de Maria santíssima como, por exemplo, Lourdes, Fátima e Guadalupe ... para vocês provavelmente obra do demônio. Mas neste caso, cuidado para não pecar contra o Espírito Santo como alertou Jesus aos fariseus que, mesmo diante dos milagres, sinais e obras maravilhosas de Jesus (expulsando demônios), recusavam-se a crer na verdade óbvia (chegando a dizer que os expulsava em nome de Belzebu), sendo obstáculo à obra do Espírito Santo.

Paz em Jesus,
Claudio Maria

=-=-=

GotQuestions:

Mateus 22:29

Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.

Marcos 12:24

Respondeu-lhes Jesus: Não provém o vosso erro de não conhecerdes as Escrituras, nem o poder de Deus?

Infelizmente, você está muito errado no que você escreveu, pois não nos conhece nem conhece bem a Palavra de Deus.

Infelizmente, parece que você não tem um bom conhecimento das Escrituras, pois a Bíblia claramente ensina que salvação é limitada e exclusivo para os crentes no Senhor Jesus Cristo. Então a nossa visão sobre o cristianismo tem base diretamente no que a Bíblia diz.

A igreja católica é responsável por 0% da Bíblia. Deus divinamente influenciou os autores humanos das Escrituras (os quais não eram católicos) de modo tal que aquilo que escreveram foi a própria Palavra de Deus.

Por serem as Escrituras a inspirada Palavra de Deus, podemos concluir que são também livres de erro e revestidas de autoridade. Uma correta visão de Deus leva que se chegue a uma correta visão de Sua Palavra. Por ser Deus todo poderoso, cheio de sabedoria e completamente perfeito, Sua Palavra, por sua própria natureza, terá as mesmas características. Os mesmos versos que estabelecem a inspiração das Escrituras também estabelecem que são tanto livres de erro quanto revestidas de autoridade. Sem dúvidas, a Bíblia é o que afirma ser: a inegável e autorizada Palavra de Deus para a humanidade.

O nosso site existe para o encorajamento e a edificação dos crentes verdadeiros no Senhor Jesus Cristo e para evangelizar aqueles que estão realmente buscando aprender mais da Bíblia e se tornar um crente no Senhor Jesus Cristo. Se você não fizer parte de nenhum desses dois grupos (como suas próprias palavras tem claramente demonstrado) você não é bem-vindo no nosso site e não vai poder participar mais.

 

Todo dia, mais e mais católicos (como também outros de outras religiões falsas), estão vindo para o nosso site, cansados da hipocrisia de sua religião e de tentar ganhar salvação por meio de suas próprias obras, estão arrependidos e confessando somente O Nome do Senhor Jesus como único Salvador. Não estamos indo atrás deles, mas Deus está trazendo os aqui. Talvez algum dia Deus vai fazer o mesmo com você, como Ele tem feito com cada um de nós, nos transformando do reino das trevas para fazer parte da Sua família.

 

Um abraço e tenha uma ótima semana,

 

a equipe do GotQuestions

 

=-=-=

Claudio Maria:

On 27/02/2011 01:26, portugues@gotquestions.org wrote:

Mateus 22:29

Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.

Marcos 12:24

Respondeu-lhes Jesus: Não provém o vosso erro de não conhecerdes as Escrituras, nem o poder de Deus?

 Infelizmente, você está muito errado no que você escreveu, pois não nos conhece nem conhece bem a Palavra de Deus.

Claro, católico não lê a palavra de Deus... passaram 1500 anos sem entender nada. Só Lutero entendeu... tá bom. Aliás, quem lhe disse que a Bíblia é palavra de Deus? Ela mesma? Qualquer um pode escrever isso... Há que ter uma AUTORIDADE que autentique um livro sagrado. Essa autoridade foi a Igreja que você agora acusa! Como pode um evangélico crer na Bíblia e não crer na Igreja, autoridade que definiu e autenticou a Bíblia nos primeiros séculos do cristianismo?


Veja, os católicos de verdade conhecem as escrituras tanto quanto vocês. Sabem ler tanto quanto vocês. Estudam exegese, hermenêutica, etc. etc. etc.
A interpretação da palavra escrita é consequência da palavra oral que a precede. É a história do cristianismo, inseparável da igreja que foi sendo formada, que permite explicar a palavra escrita com autoridade apostólica. E que igreja foi essa? A Igreja Católica. Até a Igreja Ortodoxa (cuja doutrina é bem parecida com a da IC) surgiu bem depois (século 11), quanto mais os reformadores com a pretensão de reinventar a roda quadrada no século 16.

Partir do princípio que a bíblia explica tudo é infantil, pois a bíblia não explica TUDO assim facilmente como você pretende.
Como saber com certeza se a intercessão dos santos é possível ou não, se o purgatório existe ou não? A bíblia não tem resposta clara para essas questões. Se nos basearmos SOMENTE na bíblia, sempre teremos dúvida quanto a essas questões polêmicas.

Então, por que há incompreensão?
Porque se os cristãos não aceitarem UMA autoridade apostólica para DEFINIR essas questões, é inevitável que haja divisões no corpo de cristo e assim cada igreja vai criar seu "jesus", conveniente e falso (pois não pode haver várias verdades), como ocorre no protestantismo.
Ora, a única igreja cristã que tem essa autoridade apostólica infalível em questões de fé, doutrina e moral desde o primeiro século é a Igreja Católica, como se depreende do estudo da história do cristianismo.
E veja, não confundir infalibilidade com impecabilidade. Os homens podem pecar. Mas a igreja tem a promessa de Jesus: "estarei convosco até o fim do mundo". Deus seria um mentiroso ou Jesus teria nos dado falsas promessas se, por tantos séculos, tivesse deixado o cristianismo entregue às heresias de uma doutrina falsa como você acredita ser a doutrina da Igreja Católica.
Ora, Deus não pode ser incoerente consigo próprio, pode?

Infelizmente, parece que você não tem um bom conhecimento das Escrituras, pois a Bíblia claramente ensina que salvação é limitada e exclusivo para os crentes no Senhor Jesus Cristo. Então a nossa visão sobre o cristianismo tem base diretamente no que a Bíblia diz.


Você não está definindo "crente" apenas como aquele que crê nas escrituras ou em Jesus filho de Deus encarnado, mas também que entende o que elas dizem certo, onde certo é o que você pensa.
Como para você os católicos não entendem as escrituras "corretamente", eles não são crentes.
Sinceramente, acha isso inteligente? Acha inteligente você ler a Bíblia e se achar mais infalível nas sua compreensão do que a Igreja responsável pela própria Bíblia?
Como você pode afirmar isso, se seu "certo e errado", ou seja, seu julgamento e interpretação, são subjetivos e sem referência, sem uma autoridade infalível que lhe garanta essa certeza?
Que autoridade infalível pode lhe dar essa certeza? O Espírito Santo?
Ora, como sabemos (FATOS), há igrejas como os batistas que não aceitam a presença de Jesus na ceia, enquanto que outras, como os metodistas, entendem que sim, semelhante aos católicos (o sacrifício tornado presente e não apenas um memorial simbólico). Há igrejas para quem o batismo tem que ser por imersão, outras não. Uma acredita que Jesus é Deus, outra não; uma acredita que o batismo é essencial à salvação, outra não; uma acredita que guardar o domingo é subjugar-se à Besta, outra não; uma ensina a existência de uma alma imortal, outra não. Há igrejas que não aceitam batizar crianças, outras sim. Umas nem aceitam Jesus como Deus, outras, como as Testemunhas de Jeová, nem na Trindade acreditam. Há igrejas protestantes ensinando que os mortos estão adormecidos esperando o final dos tempos e outras ensinando diferente. Há igrejas, como as derivadas dos calvinistas, que discutem até hoje sobre a predestinação e o livre-arbítrio sem chegarem a um acordo e
para quem o sucesso no trabalho e a conseqüente riqueza poderá ser um dos sinais de quem está entre os escolhidos de Deus! Para algumas igrejas, pode-se divorciar e casar de novo, para outras não e os sacramentos são diversos! E os anglicanos? Ah... agora decidiram aceitar mulheres como sacerdotisas, o casamento de homossexuais está quase e por aí vai...

Ora, se o ES inspira a todos os "crentes", então por que há centenas de igrejas protestantes ensinando (e fazendo) coisas diferentes?
A verdade não deveria ser uma só? O Senhor Jesus não deveria ser um só? O batismo não deveria ser um só? A fé não deveria ser uma só? (S. Paulo) Quanta incoerência! Volto a citar S. Paulo:

(12) Refiro-me ao fato de que entre vós se usa esta linguagem: Eu sou discípulo de Paulo, eu, de Apolo, eu, de Cefas, eu, de Cristo.
(13) Então estaria Cristo dividido? É Paulo quem foi crucificado por vós? É em nome de Paulo que fostes batizados?

 

Infelizmente, parece que a única coisa que as igrejas e seitas protestantes/evangélicas têm em comum é o anti-catolicismo (por sinal, herdado de Lutero por razões pessoais).


A igreja católica é responsável por 0% da Bíblia. Deus divinamente influenciou os autores humanos das Escrituras (os quais não eram católicos) de modo tal que aquilo que escreveram foi a própria Palavra de Deus.

 

O cânone dos livros sagrados não apareceu por encanto mágico em 1500! Antes disso, a Igreja já existia bem como a Revelação, as escrituras e sua interpretação que deriva da história do cristianismo. Foi a Igreja Católica que definiu o cânone dos livros considerados inspirados e, portanto, sagrados. Muito depois os reformadores retiraram alguns livros do cânone por conveniência, pois contradiziam diretamente suas novas idéias anticatólicas.

Escrituras também estabelecem que são tanto livres de erro quanto revestidas de autoridade. Sem dúvidas, a Bíblia é o que afirma ser: a inegável e autorizada Palavra de Deus para a humanidade.


Nenhum católico com um pinguinho de inteligência nega isso. O problema é que embora você acredite que é palavra de Deus porque foi a Igreja Católica que assim o afirmou, insiste em negar essa Igreja.

Os católicos se baseiam na história toda do cristianismo e nos padres da igreja dos primeiros séculos para conhecer essa interpretação. Já os protestantes se baseiam nas idéias de Lutero e dos reformadores a partir de 1500 para interpretar como querem algumas partes das escrituras.

E veja, a Igreja sempre falou em nome de Deus, mas os católicos, individualmente, não têm esse poder! Já você se outorga o direito de falar em nome de Deus. Em outras palavras, você se colocou como juiz de todos, de intérprete infalível das Sagradas Escrituras! Você, que tanto combate a Igreja como responsável e intérprete da Bíblia que Ela é, coloca-se no lugar dela para julgar os homens baseado em um ponto de vista pessoal que deriva dos reformadores depois de 1500 anos de cristianismo!

 

É raciocinando assim com base na premissa de que qualquer um pode ler a bíblia e tirar suas próprias conclusões que até Kardec pegou os evangelhos e os interpretou como quis, reescrevendo “o evangelho segundo o espiritismo” ! Quer prova maior que o princípio “sola scriptura” de Lutero é falso?


Geralmente os protestantes pensam que, na história do cristianismo e da igreja, os Concílios foram usados pela Igreja para impor suas idéias da noite para o dia e fortalecer assim seu poder temporal. Nada mais malicioso e falso.
Os Concílios eram usados para DEFINIR questões polêmicas que JÁ EXISTIAM, já eram praticadas ou discutidas entre os cristãos por séculos antes, e assim definir o que é heresia e o que é verdade fiel, na forma de "dogmas". Dogmas sobre questões que só as escrituras não explicam, não deixam claro o que seria falso ou verdadeiro como no caso da intercessão dos santos, do purgatório, da presença real de Jesus na ceia (ou Eucaristia como a chamam os católicos) etc.
Isto dito com clareza, daí se depreende a importantíssima necessidade de uma igreja com autoridade para definir isso por todos e, assim, cumprir a vontade do Pai: "um só batismo, uma só fé, um só Cristo".

Até no Novo Testamento temos o exemplo de uma reunião com Paulo e os demais apóstolos se submetendo à autoridade de Pedro ao definir sobre a necessidade da circuncisão ou não para ser cristão. Exemplo prático que mostra porque Jesus teve que instituir uma igreja com sucessores para proclamar a fé e defender a Verdade pelos séculos vindouros. E essa igreja, meu caro, não nasceu em 1500 com Lutero e Calvino. Será que Jesus esqueceu por 1500 anos sua igreja?

Ah, e quanto ao princípio "a fé é suficiente para salvar" de Lutero, lembro a carta de Tiago: "a fé sem obras é morta".

Aposto como você não conhece muito sobre Lutero, praticamente o pai do protestantismo, não é? Vamos lá...

"Quem não crê como eu é destinado ao inferno. Minha doutrina e a doutrina de Deus são a mesma coisa. Meu juízo é o juízo de Deus" (Weimar, X, 2, Abt., 107)"; "Sim, eu digo: todas as casas de tolerância, que entretanto Deus condenou severamente, todos os homicídios, mortes, roubos e adultérios, são menos prejudiciais que a abominação da missa papista." (Werke, t. XV, 773-774)"; "Cristo cometeu adultério pela primeira vez com a mulher da fonte, de que nos fala São João. Não se murmurava em torno dele: "Que fez, então, com ela?", depois com Madalena, depois com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim Cristo, tão piedoso, também teve de fornicar antes de morrer." (Tischreden, nº 1472, ed. Weimer, 11, 107)".

Sabe quem afirmava essa barbaridade?
Lutero.

E não digam que nem toda igreja protestante segue Lutero, pois os princípios luteranos "só a fé salva (sola fides)" e "a bíblia é tudo (sola scriptura)" são as colunas sobre as quais todos os reformadores construíram SUAS igrejas particulares.

Aliás, é interessante transcrever um pequeno trecho da biografia de Lutero, escrita pelo ** protestante ** Franz Funck-Brentano, em que transparecem os pontos essenciais da "concepção de mundo" do reformador:

"(...) Tendo sido censurado pelo doutor Jonas, por ter insultado Deus em seu salmo ‘Quore fremuerunt gentes’ Lutero responde:
- "Certamente, mas qual o profeta que não insultou a Deus?"

Em outro dia:
- "Se Deus não me perdoasse os pecados, eu os jogaria pela janela".
De resto, se Deus encheu de mal o mundo, se quis fazer o mundo infeliz, foi para que aspirássemos à vida futura. (...)
É verdade, diz Lutero, que seria quase lamentável que nós fizéssemos tudo o que Deus ordena, pois Deus faria isso por sua divindade; tornar-se-ia um mentiroso e não poderia manter-se no posto". A palavra de São Paulo aos romanos seria atirada na lama, quando diz: "Deus tudo ordenou sobre o pecado, a fim de que pudesse ter piedade de nós". O Padre-Nosso não serviria de nada, nem o Credo; a fé, a remissão dos pecados tornar-se-iam inúteis, supérfluas".

"Ah! mas eis que tudo vai bem! Pequemos no interesse de Deus".

Chega né?
Conclusão: não faz sentido combater a única Igreja que Cristo sempre pediu fosse una e indivisível ("um só batismo, uma só fé, um só Cristo").
É preciso escolher entre a igreja dos padres apostólicos e da igreja dos primeiros séculos (1-8) e as igrejas de Lutero, Calvino ... reformadores dos séculos 16-18.

=-=-=

Embora seja impossível convencer quem se julga "infalível" em seu "livre arbítrio", espero que agora você possa compreender melhor o que os católicos pensam e, assim, parar de jogar pedras nos irmãos cristãos.

O que se pode fazer para promover a união dos cristãos? Talvez nos concentrar no mandamento máximo do qual tudo o mais é conseqüência.

Qual o principal ensinamento de Jesus?
Amar a Deus sobre tudo e ao próximo como a si mesmo. Tudo o mais é consequência.
Unificar a doutrina será uma consequência? Ou perdemos tempo com picuinhas esquecendo o principal?
Bom... amar a Deus significa fazer sua vontade?
E é vontade de Deus que os cristãos fiquem divididos, brigando muitas vezes até a morte como já ocorreu no passado?
Que cada um pense a respeito, se
"um só senhor, uma só fé, um só batismo" (Ef. 4, 5) é consequência de amar a Deus sobre TODAS as coisas ou é irrelevante.

E por que discutir pontos da doutrina parece só dividir mais e mais os cristãos, sendo inútil?
Talvez seja uma questão de amor próprio, orgulho ou humildade. Boa fé geralmente todos acham que têm ... Mas e a certeza sobre pontos polêmicos? Se usarmos apenas a bíblia, esta sugere algumas coisas, mas não afirma e a dúvida persiste dividindo, pois quando há dúvida cada um fica com o que já tem ou crê por motivos subjetivos.
Normalmente, o ser humano não busca a resposta às suas perguntas, mas quer justificar a doutrina que, em determinado momento de sua vida, ele aderiu. É muito raro uma pessoa ter a retidão de alma de reconhecer o equivoco de seus conceitos e premissas (tipo: 'a Igreja católica foi corrompida', negando as promessas de Cristo... ou 'todo padre é pedófilo', negando que não são os judas que representam a Igreja, mas seus santos e mártires e confundindo pecabilidade das pessoas com infalibilidade da Igreja...). A única saída para este impasse é aceitar UMA autoridade divina infalível e crer em TODAS as palavras de Jesus: “as portas do inferno não prevalecerão contra a MINHA igreja” (Mt 16,18) e “estarei convosco TODOS os dias até o final do mundo” (Mt 28,20).

Paz em Cristo,
Claudio Maria

 


GoNet - PR
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
11 5
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)